Escolas de samba do Rio receberão R$ 8 milhões da Lei Rouanet

O Ministério da Cultura vai repassar R$ 8 milhões para as escolas de samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro para o carnaval de 2018. A verba será disponibilizada pela Caixa Econômica Federal, através da Lei Rouanet , à Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa). O anúncio foi feito na última terça-feira (28) pelo ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão.

O Ministério da Cultura vai repassar R$ 8 milhões para as escolas de samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro
                                                                    Divulgação/Riotur

O Ministério da Cultura vai repassar R$ 8 milhões para as escolas de samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro

Para que os recursos sejam liberados, a Liesa precisa retificar campos da proposta protocolada no ministério na semana passada. “A bola está agora na quadra da Liga das Escolas de Samba , para que eles possam qualificar o projeto no âmbito da Lei Rouanet e acertar os detalhes com a Caixa”, disse Sá Leitão.

Assim que tomou posse, no fim de julho, o ministro recebeu do presidente Michel Temer a missão de viabilizar recursos para o carnaval da cidade, que haviam sido reduzidos pelo prefeito Marcelo Crivella.

Desde então, Sá Leitão se reuniu com várias empresas para conseguir os recursos necessários para o carnaval e as escolas de samba. “Conseguimos sensibilizar a Caixa, que viu no carnaval do Rio uma oportunidade de ação de marketing”, disse o ministro, que destacou o impacto cultural, social e econômico do carnaval. A festa, segundo estudos citados pelo ministro, injeta R$ 2 bilhões na economia da cidade. “É um dinheiro que flui por toda a sociedade, irriga a economia como um todo chegando a muita gente”.

Título dividido

Recentemente, a  Liga Independente das Escolas de Samba decidiu que o título do Carnaval do Rio de Janeiro deste ano ficará dividido entre Portela e Mocidade Independente de Padre Miguel. A decisão foi tomada após votação entre as escolas de samba. Com sete votos a favor, quatro abstenções e um voto contra, da própria Portela, ficou decidido que a Mocidade dividirá o título com a escola de Madureira, que havia sido declarada campeã na apuração oficial.

IG