Michelle Pfeiffer faz retorno triunfal a Hollywood em 2017

No filme da para TV

“Eu juro, ela é destinada às telas. A coisa mais próxima a Michelle Pfeiffer que você já viu”, é o que diz a música de Vance Joy, “ Reptide ”, sucesso de 2013. Um ano depois, o nome da atriz estaria na boca de todo mundo de novo, já que ela é citada em “Uptown Funk”, do Bruno Mars. A verdade é que Michelle Pfeiffer é uma atriz icônica que, desde “Scarface” passando por outros tantos sucessos ao longo de sua carreira, se mantém no imaginário da atriz clássica de Hollywood .

Isso não significa que ela não se perca em seus papeis e sua longa e premiada carreira a deixaram entre as maiores atrizes do mundo. Porém, Michelle Pfeiffer decidiu dar um tempo. Em 2000, depois de estrelar mais de 30 filmes, ela diminuiu o ritmo de trabalho para se dedicar a família. Porém, em 2017, ela fez um retorno triunfal. Com quatro produções no cinema e uma na TV, neste ano a atriz voltou a reinar e o próximo ano também deve ser bem cheio, com sua participação em uma produção da Marvel .

Scarface e o estrelato

Michelle Pfeiffer era um nome pouco conhecido em 1983, quando estrelou “ Scarface ”. Ela já havia protagonizado a sequência de “Grease: Nos Tempos da Brilhantina”, mas foi só no drama de Brian de Palma que ela pulou de vez para o estrelato. A partir daí, ela se tornou um dos nomes mais requisitados de Hollywood, e aparecia muitas vezes em mais de uma produção por ano. Ela fez “ As Bruxas de Eastwick ”, “De Caso com a Máfia”, além de duas produções que lhe renderam duas indicações seguidas ao Oscar : “Ligações Perigosas” e “Susie e os Baker Boys”.

Em 1992 sua popularidade iria aumentar ainda mais. Ela se tornou a mulher gato em “ Batman : O Retorno”. Sua interpretação de Selina Kyle entrou para a história e, até hoje, ela é considerada a melhor intérprete da personagem. No mesmo ano ela ainda foi indicada mais uma vez ao prêmio máximo no cinema por “As Barreiras do Amor”.

Pfeiffer tem uma carreira bem diversificada e varia entre dramas, como “Mentes Perigosas” a romances como “A Época da Inocência”, dirigido por Martin Scorsese, passando por fantasias como Batman e Eastwick. Ela também já protagonizou romances de “Sessão da Tarde” como “Um Dia Especial”, ao lado de George Clooney.

Aposentadoria

                                                                      Divulgação

                                 “Scarface” a colocou como um dos maiores nomes de Hollywood

Em 2000, Pfeiffer decidiu que iria entrar em uma semi- aposentadoria , trabalhando menos para passar mais tempo com sua família. Ela tem dois filhos, Claudia Rose e John Henry Kelley e decidiu que iria se distanciar no cinema, escolhendo fazer filmes esporadicamente. Dona de uma produtora, a Via Rosa, ela ainda produziu mais um filme, “Pecado Original”, que iria estrelar, mas acabou desistindo, deixando o papel de protagonista para Angelina Jolie.

Mesmo trabalhando menos, ela nunca deixou de atuar e nesse período esteve em filmes como “Hairspray: Em Busca da Fama”, “Stardust: O Mistério da Estrela” e “ Lição de Amor ”, onde atuou ao lado de Sean Penn e Dakota Fanning.

Retorno triunfal

Em 2017, porém, Pfeiffer saiu de vez da “aposentadoria”. Este ano a atriz estrelou nada menos que quatro produções: o filme independente “Onde Está Kyra?”, onde foi protagonista, “ mãe! ” , “ O Assassinato no Expresso do Oriente ” e “ O Mago das Mentiras ”. O último deles feito para a HBO , rendeu a Pfeiffer uma indicação ao Emmy de Melhor Atriz Coadjuvante. Já em “mãe!”, apesar de não ser a protagonista, a atriz rouba a cena como uma mulher que extrapola os limites da boa etiqueta ao infernizar a vida da personagem de Jennifer Lawrence ao se hospedar em sua casa sem ser convidada.

Ela ainda faz parte do elenco de
Divulgação

Ela ainda faz parte do elenco de “Assassinato no Expresso do Oriente” que estreia em novembro nos cinemas

Com quatro filmes e uma indicação, 2017 marcou de vez sua volta aos holofotes e ainda garantiu seu retorno ao gênero de super-heróis, dessa vez na Marvel. Ela foi confirmada como Janet van Dyne em “Homem-Formiga e a Vespa”, sequência do filme de 2015 que chega aos cinemas em 2018.

Coadjuvante

Michelle Pfeiffer não é o tipo de atriz que passa despercebida, mesmo em filmes como os que fez esse ano, onde não era a protagonista. Porém, a decisão de escolher papeis de apoio foi acertada e ainda deu mais chance para que se destacasse. Para quem estava com saudades da atriz, esse foi o ano de tirar o atraso. Quem venham mais!

Gente – IG