Para falar de racismo ,o autor Walcyr Carrasco aposta em educação sobre o assunto

Na novela de Walcyr Carrasco, Nádia e Raquel falaram sobre racismo

Nádia, personagem de Eliane Giardini , em “O Outro Lado do Paraíso” , é uma mulher completamente racista que não aceita o relacionamentode seu filho Bruno ( Caio Paduan ) com Raquel ( Erika Januza ), simplesmente por a moça ser negra. Assim, Walcyr Carrasco fala sobre mais um assunto polêmico e que faz faz parte da  triste realidade do Brasil.

Nos últimos capítulos da novela de Walcyr Carrasco , uma cena mostrou Raquel, já separada de Bruno, comemorando ao ter passado no vestibular de direito. Já no capítulo da próxima quarta-feira (29), em uma nova fase da trama, a moça aparecerá já formada, mas deixa de advogar após conseguir nomeação para ser juíza.

O que Nádia não espera é que a ex-namorada de seu filho será trabalhará ao lado de seu marido, Gustavo, personagem de Luis Melo. Sem saber de nada, a mãe de Bruno decide preparar um jantar para a nova juíza que trabalhará com seu companheira.

A cena, que deve ir ao ar na próxima quinta-feira (30), mostrará Nádia desmaiando ao descobrir que a juíza que trabalhará com Gustavo é Raquel.

Racismo

Em recente entrevista para “O Globo”, Walcyr Carrasco falou sobre algumas novidades da sequência da novela e aproveitou para falar também sobre o tema envolvendo Raquel e Nádia. “Fala-se muito em racismo. Mas não se apontam saídas. A novela mostra a melhor delas, na minha opinião: educação. Por isso sou a favor da política de cotas na universidade, da promoção social do negro para que tenha mais acesso e oportunidades. Raquel é um exemplo disso. Através da educação, vira juíza”, disse o autor.

“O Outro Lado do Paraíso”

Escrita por Walcyr Carrasco, “O Outro Lado do Paraíso” conta com  Sergio Guizé, Rafael Cardoso, Grazi Massafera, Fernanda Montenegro, Glória Pires, Lima Duarte e Marieta Severo nos papéis principais. Segundo o autor, a trama é ditada pela lei do retorno e da crença de que  um dia a justiça chega para todos, sendo que cedo ou tarde a vida se encarrega de dar o troco, e tudo o que se faz um dia se volta contra si mesmo. Temas como o machismo, racismo, homofobia e nanismo também são discutidos na novela.

Gente -IG